news:

Notícias

Reforma trabalhista entra em vigor com vários pontos que ainda vão mudar


foto_principal.jpg
11/11/2017

Ronaldo Nogueira afirmou que não há perdas de direitos dos trabalhadores.

 

O ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, fez um pronunciamento afirmando que a mudança nas leis trabalhistas vai criar “as condições necessárias para o crescimento econômico”. Ele ainda reforça que não há perdas de direitos essenciais e constitucionais dos trabalhadores.

 

"Foram mantidos todos os direitos trabalhistas. FGTS, seguro-desemprego, salário-mínimo, piso salarial, férias de 30 dias, repouso semanal remunerado, 13º salário, aviso prévio proporcional ao tempo de serviço, licença maternidade e horas-extras. Tudo está garantido. A melhor síntese da reforma foi dada pelo presidente Michel Temer, quando afirmou: nenhum direito a menos, muitos empregos a mais" — disse.

 

Segundo Nogueira, a atualização da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), de 1940, “era um desafio que a todos parecia impossível”. Com a reforma, Nogueira afirmou que o Brasil “chega agora ao século 21” e se prepara para competir em um mercado de “mudanças rápidas” e absorver a milhares de jovens que terão acesso ao mercado de trabalho.

O ministro ainda afirmou que o país venceu a recessão e que “o emprego voltou”:

 

"Com a modernização trabalhista iniciamos um novo tempo: o tempo de mais empregos, de mais esperança e de otimismo. O tempo de retomada do crescimento e de melhores oportunidades para todos".

Ronaldo Nogueira afirmou que não há perdas de direitos dos trabalhadores.


 


O ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, fez um pronunciamento afirmando que a mudança nas leis trabalhistas vai criar “as condições necessárias para o crescimento econômico”. Ele ainda reforça que não há perdas de direitos essenciais e constitucionais dos trabalhadores.


 


"Foram mantidos todos os direitos trabalhistas. FGTS, seguro-desemprego, salário-mínimo, piso salarial, férias de 30 dias, repouso semanal remunerado, 13º salário, aviso prévio proporcional ao tempo de serviço, licença maternidade e horas-extras. Tudo está garantido. A melhor síntese da reforma foi dada pelo presidente Michel Temer, quando afirmou: nenhum direito a menos, muitos empregos a mais" — disse.


PATROCINADORES

 


Segundo Nogueira, a atualização da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), de 1940, “era um desafio que a todos parecia impossível”. Com a reforma, Nogueira afirmou que o Brasil “chega agora ao século 21” e se prepara para competir em um mercado de “mudanças rápidas” e absorver a milhares de jovens que terão acesso ao mercado de trabalho.


O ministro ainda afirmou que o país venceu a recessão e que “o emprego voltou”:


 


"Com a modernização trabalhista iniciamos um novo tempo: o tempo de mais empregos, de mais esperança e de otimismo. O tempo de retomada do crescimento e de melhores oportunidades para todos".


Ronaldo Nogueira afirmou que não há perdas de direitos dos trabalhadores.



O ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, fez um pronunciamento afirmando que a mudança nas leis trabalhistas vai criar “as condições necessárias para o crescimento econômico”. Ele ainda reforça que não há perdas de direitos essenciais e constitucionais dos trabalhadores.



"Foram mantidos todos os direitos trabalhistas. FGTS, seguro-desemprego, salário-mínimo, piso salarial, férias de 30 dias, repouso semanal remunerado, 13º salário, aviso prévio proporcional ao tempo de serviço, licença maternidade e horas-extras. Tudo está garantido. A melhor síntese da reforma foi dada pelo presidente Michel Temer, quando afirmou: nenhum direito a menos, muitos empregos a mais" — disse.



PATROCINADORES

Segundo Nogueira, a atualização da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), de 1940, “era um desafio que a todos parecia impossível”. Com a reforma, Nogueira afirmou que o Brasil “chega agora ao século 21” e se prepara para competir em um mercado de “mudanças rápidas” e absorver a milhares de jovens que terão acesso ao mercado de trabalho.



O ministro ainda afirmou que o país venceu a recessão e que “o emprego voltou”:



"Com a modernização trabalhista iniciamos um novo tempo: o tempo de mais empregos, de mais esperança e de otimismo. O tempo de retomada do crescimento e de melhores oportunidades para todos".



Veja Também