news:

Sul de Minas

Fernão Dias tem 156 acidentes com motoristas dormindo no 1º semestre


foto_principal.jpg
20/07/2018

Matéria extraída do G1

 

Conforme levantamento da concessionária, ao todo, 1.293 acidentes foram registrados no ano no período noturno.

 

Pelo menos 156 acidentes que aconteceram na Fernão Dias no 1º semestre de 2018, ocorreram porque os motoristas dormiram o volante. Conforme levantamento da Autopista Fernão Dias, concessionária da rodovia, durante todo o ano, a rodovia registrou 1.293 acidentes durante o período noturno. As principais causas são perda do controle do veículo ou descuido do motorista, que somados, representam 63,9% dos acidentes.

 

Com 35 anos de experiência, o motorista de ônibus Eduardo Rodrigues Rezende, já viu muitos motoristas se arriscarem cansados na pista. “Já vi caminhões e ônibus andando tortos na pista, jogando pra lá e pra cá”, relata.

 

Outro motorista, Edson Soares, encosta o caminhão quando o sono bate. “Deu sono eu paro mesmo. Qualquer horário. Procuro um lugar seguro, paro e dou uma cochilada de umas duas, três horas pra depois seguir viagem”, conta. Ele ainda afirma que não coloca a sua vida e nem a de outra pessoa em risco.

 

No primeiro semestre deste ano, foram 156 acidentes na Rodovia Fernão Dias, no trecho Sul Mineiro, no período de 18h até às 6 da manhã.

 

 

Campanha Educativa

 

A concessionária responsável pela rodovia faz campanhas para orientar os motoristas através de ações educativas entre as dez da noite e as duas da manhã. “A gente aborda os principais itens do carro na parte elétrica. Fazemos um cheklist para analisar seta, comando de seta, pisca-alerta e faróis. E nesses casos, onde tem um reparo de fácil acesso, a concessionária faz o reparo, faz a substituição sem custo para o usuário”, explica o gerente de tráfego, José Carlos de Oliveira.

 

Ainda segundo José o motorista com sono sofre da chamada "hipnose viária'. “O condutor está dirigindo o veículo com os olhos abertos, aparentemente acordado. Mas ele está em estado de sonolência. Pode ser comparado ao estado de você atender uma ligação dirigindo no seu veículo ou passando uma mensagem no aplicativo. Você está trafegando uma longa distância sem a devida atenção na rodovia”, alerta.

Matéria extraída do G1


 


Conforme levantamento da concessionária, ao todo, 1.293 acidentes foram registrados no ano no período noturno.


 


Pelo menos 156 acidentes que aconteceram na Fernão Dias no 1º semestre de 2018, ocorreram porque os motoristas dormiram o volante. Conforme levantamento da Autopista Fernão Dias, concessionária da rodovia, durante todo o ano, a rodovia registrou 1.293 acidentes durante o período noturno. As principais causas são perda do controle do veículo ou descuido do motorista, que somados, representam 63,9% dos acidentes.


 


Com 35 anos de experiência, o motorista de ônibus Eduardo Rodrigues Rezende, já viu muitos motoristas se arriscarem cansados na pista. “Já vi caminhões e ônibus andando tortos na pista, jogando pra lá e pra cá”, relata.


 


Outro motorista, Edson Soares, encosta o caminhão quando o sono bate. “Deu sono eu paro mesmo. Qualquer horário. Procuro um lugar seguro, paro e dou uma cochilada de umas duas, três horas pra depois seguir viagem”, conta. Ele ainda afirma que não coloca a sua vida e nem a de outra pessoa em risco.


PATROCINADORES

 


No primeiro semestre deste ano, foram 156 acidentes na Rodovia Fernão Dias, no trecho Sul Mineiro, no período de 18h até às 6 da manhã.


 


 


Campanha Educativa


 


A concessionária responsável pela rodovia faz campanhas para orientar os motoristas através de ações educativas entre as dez da noite e as duas da manhã. “A gente aborda os principais itens do carro na parte elétrica. Fazemos um cheklist para analisar seta, comando de seta, pisca-alerta e faróis. E nesses casos, onde tem um reparo de fácil acesso, a concessionária faz o reparo, faz a substituição sem custo para o usuário”, explica o gerente de tráfego, José Carlos de Oliveira.


 


Ainda segundo José o motorista com sono sofre da chamada "hipnose viária'. “O condutor está dirigindo o veículo com os olhos abertos, aparentemente acordado. Mas ele está em estado de sonolência. Pode ser comparado ao estado de você atender uma ligação dirigindo no seu veículo ou passando uma mensagem no aplicativo. Você está trafegando uma longa distância sem a devida atenção na rodovia”, alerta.


Matéria extraída do G1



Conforme levantamento da concessionária, ao todo, 1.293 acidentes foram registrados no ano no período noturno.



Pelo menos 156 acidentes que aconteceram na Fernão Dias no 1º semestre de 2018, ocorreram porque os motoristas dormiram o volante. Conforme levantamento da Autopista Fernão Dias, concessionária da rodovia, durante todo o ano, a rodovia registrou 1.293 acidentes durante o período noturno. As principais causas são perda do controle do veículo ou descuido do motorista, que somados, representam 63,9% dos acidentes.



PATROCINADORES

Com 35 anos de experiência, o motorista de ônibus Eduardo Rodrigues Rezende, já viu muitos motoristas se arriscarem cansados na pista. “Já vi caminhões e ônibus andando tortos na pista, jogando pra lá e pra cá”, relata.



Outro motorista, Edson Soares, encosta o caminhão quando o sono bate. “Deu sono eu paro mesmo. Qualquer horário. Procuro um lugar seguro, paro e dou uma cochilada de umas duas, três horas pra depois seguir viagem”, conta. Ele ainda afirma que não coloca a sua vida e nem a de outra pessoa em risco.



No primeiro semestre deste ano, foram 156 acidentes na Rodovia Fernão Dias, no trecho Sul Mineiro, no período de 18h até às 6 da manhã.



PATROCINADORES

Campanha Educativa



A concessionária responsável pela rodovia faz campanhas para orientar os motoristas através de ações educativas entre as dez da noite e as duas da manhã. “A gente aborda os principais itens do carro na parte elétrica. Fazemos um cheklist para analisar seta, comando de seta, pisca-alerta e faróis. E nesses casos, onde tem um reparo de fácil acesso, a concessionária faz o reparo, faz a substituição sem custo para o usuário”, explica o gerente de tráfego, José Carlos de Oliveira.



Ainda segundo José o motorista com sono sofre da chamada "hipnose viária'. “O condutor está dirigindo o veículo com os olhos abertos, aparentemente acordado. Mas ele está em estado de sonolência. Pode ser comparado ao estado de você atender uma ligação dirigindo no seu veículo ou passando uma mensagem no aplicativo. Você está trafegando uma longa distância sem a devida atenção na rodovia”, alerta.



Veja Também