news:

Notícias

Desgastado, Aloysio Nunes vai se aposentar


foto_principal.jpg
11/07/2018

Mais uma baixa no tucanato paulista. O ex-prefeito João Doria, candidato a governador de São Paulo pelo PSDB, acaba de anunciar na Rádio Jovem Pan que os deputados Ricardo Tripoli e Mara Gabrilli serão os candidatos do partido ao Senado por São Paulo. Eles foram os escolhidos por Doria e seu grupo para ocuparem uma das vagas que até segunda-feira estava destinada ao jornalista José Luiz Datena (DEM), que desistiu da disputa para continuar na Band com seu alto salário mensal.

 

Como em outubro o eleitor escolherá dois senadores, em substituição à Marta Suplicy (MDB) e Aloysio Nunes Ferreira (PSDB), cujos mandatos terminam este ano, Doria mostra que é ele quem dá as cartas no tucanato paulista. Acontece que Aloysio Nunes também vinha dizendo que seria candidato à reeleição. No caso Tripoli e Gabrilli serem os escolhidos na convenção do PSDB paulista, marcada para o próximo dia 28, como tudo indica, o senador Aloysio vai ter que se aposentar da política.

 

Afinal, Aloysio vinha sendo apontado como um dos políticos ligados a Paulo de Souza, o Paulo Preto, que recebeu R$ 120 milhões de propinas no Rodoanel. Aloysio andou sendo investigado também por receber recursos de caixa dois da Odebrecht e tudo isso o desabonaria para continuar na disputa ao Senado. Tudo o que Doria não quer agora é más companhias para sua campanha ao governo de São Paulo.

Mais uma baixa no tucanato paulista. O ex-prefeito João Doria, candidato a governador de São Paulo pelo PSDB, acaba de anunciar na Rádio Jovem Pan que os deputados Ricardo Tripoli e Mara Gabrilli serão os candidatos do partido ao Senado por São Paulo. Eles foram os escolhidos por Doria e seu grupo para ocuparem uma das vagas que até segunda-feira estava destinada ao jornalista José Luiz Datena (DEM), que desistiu da disputa para continuar na Band com seu alto salário mensal.


 


PATROCINADORES

Como em outubro o eleitor escolherá dois senadores, em substituição à Marta Suplicy (MDB) e Aloysio Nunes Ferreira (PSDB), cujos mandatos terminam este ano, Doria mostra que é ele quem dá as cartas no tucanato paulista. Acontece que Aloysio Nunes também vinha dizendo que seria candidato à reeleição. No caso Tripoli e Gabrilli serem os escolhidos na convenção do PSDB paulista, marcada para o próximo dia 28, como tudo indica, o senador Aloysio vai ter que se aposentar da política.


 


Afinal, Aloysio vinha sendo apontado como um dos políticos ligados a Paulo de Souza, o Paulo Preto, que recebeu R$ 120 milhões de propinas no Rodoanel. Aloysio andou sendo investigado também por receber recursos de caixa dois da Odebrecht e tudo isso o desabonaria para continuar na disputa ao Senado. Tudo o que Doria não quer agora é más companhias para sua campanha ao governo de São Paulo.


Mais uma baixa no tucanato paulista. O ex-prefeito João Doria, candidato a governador de São Paulo pelo PSDB, acaba de anunciar na Rádio Jovem Pan que os deputados Ricardo Tripoli e Mara Gabrilli serão os candidatos do partido ao Senado por São Paulo. Eles foram os escolhidos por Doria e seu grupo para ocuparem uma das vagas que até segunda-feira estava destinada ao jornalista José Luiz Datena (DEM), que desistiu da disputa para continuar na Band com seu alto salário mensal.



Como em outubro o eleitor escolherá dois senadores, em substituição à Marta Suplicy (MDB) e Aloysio Nunes Ferreira (PSDB), cujos mandatos terminam este ano, Doria mostra que é ele quem dá as cartas no tucanato paulista. Acontece que Aloysio Nunes também vinha dizendo que seria candidato à reeleição. No caso Tripoli e Gabrilli serem os escolhidos na convenção do PSDB paulista, marcada para o próximo dia 28, como tudo indica, o senador Aloysio vai ter que se aposentar da política.



Afinal, Aloysio vinha sendo apontado como um dos políticos ligados a Paulo de Souza, o Paulo Preto, que recebeu R$ 120 milhões de propinas no Rodoanel. Aloysio andou sendo investigado também por receber recursos de caixa dois da Odebrecht e tudo isso o desabonaria para continuar na disputa ao Senado. Tudo o que Doria não quer agora é más companhias para sua campanha ao governo de São Paulo.



Veja Também