news:

Entretenimento e Curiosidade

Poucas mulheres governam cidades no Brasil


foto_principal.jpg
08/07/2018

Segundo o IBGE, apenas 11,9% das prefeituras eram comandadas por mulheres em 2017.

 

Enquanto existem 4.908 homens administrando cidades no Brasil, apenas 662 mulheres têm a mesma função – e a participação delas caiu em 2017. Os dados foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta, dia 5 de julho.

 

Em 2017, ano em que novos gestores municipais tomaram posse, 88,1% dos prefeitos do Brasil eram homens, e 11,9%, mulheres. O percentual da participação feminina era maior em 2013, quando atingiu 12,1%.

 

Entre as regiões brasileiras, o nordeste tem a maior presença de prefeitas, que governam 16,3% de seus municípios. Em 2013, o percentual era de 16,5%.

 

No norte do Brasil, 14,7% das cidades eram administradas por prefeitas em 2017, um aumento em relação a 2013, quando havia 12,7%. Nesse dado, o estado de Roraima se destaca com 33,3% de mulheres prefeitas.

 

Os menores percentuais estão no sul (8%) e no sudeste (8,8%). No centro-oeste, 13,3% dos municípios têm mulheres à frente de sua gestão.

 

O Espírito Santo é o estado do Brasil onde as mulheres estão menos presentes nas prefeituras, ocupando apenas 5,1% das vagas. No Rio Grande do Sul, as mulheres governavam 6,8% das cidades em 2017.

 

A pesquisa mostra que, em relação a 2001, a presença feminina nas prefeituras praticamente dobrou. Naquele ano, o Brasil tinha 6% de prefeitas.

 

Todas as regiões apresentam crescimento na participação feminina se a comparação for em relação a 2001, ano em que o norte tinha 8%; o nordeste, 8,7%; o sudeste, 4,5%; o sul, 2,9%; e o centro-oeste, 7,1%.

Segundo o IBGE, apenas 11,9% das prefeituras eram comandadas por mulheres em 2017.


 


Enquanto existem 4.908 homens administrando cidades no Brasil, apenas 662 mulheres têm a mesma função – e a participação delas caiu em 2017. Os dados foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta, dia 5 de julho.


 


Em 2017, ano em que novos gestores municipais tomaram posse, 88,1% dos prefeitos do Brasil eram homens, e 11,9%, mulheres. O percentual da participação feminina era maior em 2013, quando atingiu 12,1%.


 


Entre as regiões brasileiras, o nordeste tem a maior presença de prefeitas, que governam 16,3% de seus municípios. Em 2013, o percentual era de 16,5%.


 


PATROCINADORES

No norte do Brasil, 14,7% das cidades eram administradas por prefeitas em 2017, um aumento em relação a 2013, quando havia 12,7%. Nesse dado, o estado de Roraima se destaca com 33,3% de mulheres prefeitas.


 


Os menores percentuais estão no sul (8%) e no sudeste (8,8%). No centro-oeste, 13,3% dos municípios têm mulheres à frente de sua gestão.


 


O Espírito Santo é o estado do Brasil onde as mulheres estão menos presentes nas prefeituras, ocupando apenas 5,1% das vagas. No Rio Grande do Sul, as mulheres governavam 6,8% das cidades em 2017.


 


A pesquisa mostra que, em relação a 2001, a presença feminina nas prefeituras praticamente dobrou. Naquele ano, o Brasil tinha 6% de prefeitas.


 


Todas as regiões apresentam crescimento na participação feminina se a comparação for em relação a 2001, ano em que o norte tinha 8%; o nordeste, 8,7%; o sudeste, 4,5%; o sul, 2,9%; e o centro-oeste, 7,1%.


Segundo o IBGE, apenas 11,9% das prefeituras eram comandadas por mulheres em 2017.



Enquanto existem 4.908 homens administrando cidades no Brasil, apenas 662 mulheres têm a mesma função – e a participação delas caiu em 2017. Os dados foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta, dia 5 de julho.



Em 2017, ano em que novos gestores municipais tomaram posse, 88,1% dos prefeitos do Brasil eram homens, e 11,9%, mulheres. O percentual da participação feminina era maior em 2013, quando atingiu 12,1%.



PATROCINADORES

Entre as regiões brasileiras, o nordeste tem a maior presença de prefeitas, que governam 16,3% de seus municípios. Em 2013, o percentual era de 16,5%.



No norte do Brasil, 14,7% das cidades eram administradas por prefeitas em 2017, um aumento em relação a 2013, quando havia 12,7%. Nesse dado, o estado de Roraima se destaca com 33,3% de mulheres prefeitas.



PATROCINADORES

Os menores percentuais estão no sul (8%) e no sudeste (8,8%). No centro-oeste, 13,3% dos municípios têm mulheres à frente de sua gestão.



O Espírito Santo é o estado do Brasil onde as mulheres estão menos presentes nas prefeituras, ocupando apenas 5,1% das vagas. No Rio Grande do Sul, as mulheres governavam 6,8% das cidades em 2017.



A pesquisa mostra que, em relação a 2001, a presença feminina nas prefeituras praticamente dobrou. Naquele ano, o Brasil tinha 6% de prefeitas.



Todas as regiões apresentam crescimento na participação feminina se a comparação for em relação a 2001, ano em que o norte tinha 8%; o nordeste, 8,7%; o sudeste, 4,5%; o sul, 2,9%; e o centro-oeste, 7,1%.



Veja Também