news:

Bem Estar

Por que dormir com os pais é prejudicial às crianças


foto_principal.jpg
17/03/2018

O hábito de dormir com os pais é prejudicial às crianças, principalmente àquelas que estão saindo da infância e entrando na adolescência. É o que explica a psicóloga Rosely Sayão. Segundo ela, esse hábito pode trazer problemas futuros na relação maternal. “Simbolicamente, não é só dormir com a mãe, mas ocupar o lugar do pai”, diz ela. “Isso pode provocar confusão em termos de papeis, em como ele [filho] vai se relacionar com a mãe, como vai ouvir o que a mãe diz pra ele”, completa.

 

Rosely aconselha que, quando os filhos tiverem pesadelos, por exemplo, os pais conversem com a criança, cantem uma música ou até mesmo contem parte de uma história para acalmá-la, mas sem deixa-la sair da própria cama. “Não devemos abandonar a criança. O medo que ela está sentindo é real, embora o motivo seja imaginário”, diz.

 

O melhor, segundo ela, é não permitir que esse habito comece porque “é muito mais difícil” acabar com ele do que manter o filho na cama dele.

 

 

Este é o tema do ‘Família’ desta semana, com a psicóloga Rosely Sayão.

O hábito de dormir com os pais é prejudicial às crianças, principalmente àquelas que estão saindo da infância e entrando na adolescência. É o que explica a psicóloga Rosely Sayão. Segundo ela, esse hábito pode trazer problemas futuros na relação maternal. “Simbolicamente, não é só dormir com a mãe, mas ocupar o lugar do pai”, diz ela. “Isso pode provocar confusão em termos de papeis, em como ele [filho] vai se relacionar com a mãe, como vai ouvir o que a mãe diz pra ele”, completa.


 


Rosely aconselha que, quando os filhos tiverem pesadelos, por exemplo, os pais conversem com a criança, cantem uma música ou até mesmo contem parte de uma história para acalmá-la, mas sem deixa-la sair da própria cama. “Não devemos abandonar a criança. O medo que ela está sentindo é real, embora o motivo seja imaginário”, diz.


 


PATROCINADORES

O melhor, segundo ela, é não permitir que esse habito comece porque “é muito mais difícil” acabar com ele do que manter o filho na cama dele.


 


 



Este é o tema do ‘Família’ desta semana, com a psicóloga Rosely Sayão.


O hábito de dormir com os pais é prejudicial às crianças, principalmente àquelas que estão saindo da infância e entrando na adolescência. É o que explica a psicóloga Rosely Sayão. Segundo ela, esse hábito pode trazer problemas futuros na relação maternal. “Simbolicamente, não é só dormir com a mãe, mas ocupar o lugar do pai”, diz ela. “Isso pode provocar confusão em termos de papeis, em como ele [filho] vai se relacionar com a mãe, como vai ouvir o que a mãe diz pra ele”, completa.



Rosely aconselha que, quando os filhos tiverem pesadelos, por exemplo, os pais conversem com a criança, cantem uma música ou até mesmo contem parte de uma história para acalmá-la, mas sem deixa-la sair da própria cama. “Não devemos abandonar a criança. O medo que ela está sentindo é real, embora o motivo seja imaginário”, diz.



O melhor, segundo ela, é não permitir que esse habito comece porque “é muito mais difícil” acabar com ele do que manter o filho na cama dele.



PATROCINADORES



Este é o tema do ‘Família’ desta semana, com a psicóloga Rosely Sayão.



Veja Também