news:

Ciência & Tecnologia

Mulheres relatam gravidez indesejada por causa de aplicativo contraceptivo


foto_principal.jpg
16/01/2018

O aplicativo 'contraceptivo' Natural Cycles, usado por mais de 500 mil mulheres, está em maus lençóis: 37 mulheres alegam que o app foi 'culpado' por gravidez indesejada. Isso porque o aplicativo promete informar, medindo a temperatura corporal da usuária, quais dias são seguros ter atividade sexual sem proteção — a medição é ligada com o ciclo menstural.

 

Além dos relatos das 37 mulheres, o hospital de Estocolmo (Södersjukhuset), na Suécia, está denunciando o aplicativo pelas gravidez indesejadas. Agora, o caso está sendo analisado pela Agência Sueca de Produtos Médicos.

 

O Natural Cycles oferece um calendário com dias marcados como verdes e vermelhos. Nos dias verdes, o usuário pode fazer sexo sem proteção, nos vermelhos, a contracepção é necessária — os dias vermelhos são os dias mais férteis da mulher "avaliada" pelo app.

 

O Hospital Södersjukhuset notou que os 37 casos aconteceram entre um grupo com cerca de 600 mulheres, no período entre setembro e dezembro de 2017, que foram realizar o procedimento do aborto.

 

A Natural Cycles comentou o caso: "Nenhuma contracepção é 100% segura e a gravidez indesejada é um risco infeliz com qualquer contracepção. Ter 37 casos de gravidez indesejada em 668 mulheres mencionadas no estudo do Södersjukhuset mostra que 5,5% das mulheres que usam o Natural Cycles tiveram uma gravidez indesejada. Isso tem similaridade com o que comunicamos sobre os riscos de uso típico, sendo até comparável com outros tipos de contracepção".

 

Vale notar que, em 2017, o Natural Cycles foi o primeiro app certificado para uso anticoncepcional no mundo — o certificado foi aceito na Alemanha. O Natural Cycles agora espera aprovação da FDA para desembarcar nos Estados Unidos.

 

No Brasil, o Natural Cycles pode ser baixado e vende seus planos em diversas categorias, com valores entre US$ 6,90 por mês ou US$ 49,99 por ano. 

O aplicativo 'contraceptivo' Natural Cycles, usado por mais de 500 mil mulheres, está em maus lençóis: 37 mulheres alegam que o app foi 'culpado' por gravidez indesejada. Isso porque o aplicativo promete informar, medindo a temperatura corporal da usuária, quais dias são seguros ter atividade sexual sem proteção — a medição é ligada com o ciclo menstural.


 


Além dos relatos das 37 mulheres, o hospital de Estocolmo (Södersjukhuset), na Suécia, está denunciando o aplicativo pelas gravidez indesejadas. Agora, o caso está sendo analisado pela Agência Sueca de Produtos Médicos.


 


O Natural Cycles oferece um calendário com dias marcados como verdes e vermelhos. Nos dias verdes, o usuário pode fazer sexo sem proteção, nos vermelhos, a contracepção é necessária — os dias vermelhos são os dias mais férteis da mulher "avaliada" pelo app.


 


PATROCINADORES

O Hospital Södersjukhuset notou que os 37 casos aconteceram entre um grupo com cerca de 600 mulheres, no período entre setembro e dezembro de 2017, que foram realizar o procedimento do aborto.


 


A Natural Cycles comentou o caso: "Nenhuma contracepção é 100% segura e a gravidez indesejada é um risco infeliz com qualquer contracepção. Ter 37 casos de gravidez indesejada em 668 mulheres mencionadas no estudo do Södersjukhuset mostra que 5,5% das mulheres que usam o Natural Cycles tiveram uma gravidez indesejada. Isso tem similaridade com o que comunicamos sobre os riscos de uso típico, sendo até comparável com outros tipos de contracepção".


 


Vale notar que, em 2017, o Natural Cycles foi o primeiro app certificado para uso anticoncepcional no mundo — o certificado foi aceito na Alemanha. O Natural Cycles agora espera aprovação da FDA para desembarcar nos Estados Unidos.


 


No Brasil, o Natural Cycles pode ser baixado e vende seus planos em diversas categorias, com valores entre US$ 6,90 por mês ou US$ 49,99 por ano. 


O aplicativo 'contraceptivo' Natural Cycles, usado por mais de 500 mil mulheres, está em maus lençóis: 37 mulheres alegam que o app foi 'culpado' por gravidez indesejada. Isso porque o aplicativo promete informar, medindo a temperatura corporal da usuária, quais dias são seguros ter atividade sexual sem proteção — a medição é ligada com o ciclo menstural.



Além dos relatos das 37 mulheres, o hospital de Estocolmo (Södersjukhuset), na Suécia, está denunciando o aplicativo pelas gravidez indesejadas. Agora, o caso está sendo analisado pela Agência Sueca de Produtos Médicos.



O Natural Cycles oferece um calendário com dias marcados como verdes e vermelhos. Nos dias verdes, o usuário pode fazer sexo sem proteção, nos vermelhos, a contracepção é necessária — os dias vermelhos são os dias mais férteis da mulher "avaliada" pelo app.



PATROCINADORES

O Hospital Södersjukhuset notou que os 37 casos aconteceram entre um grupo com cerca de 600 mulheres, no período entre setembro e dezembro de 2017, que foram realizar o procedimento do aborto.



A Natural Cycles comentou o caso: "Nenhuma contracepção é 100% segura e a gravidez indesejada é um risco infeliz com qualquer contracepção. Ter 37 casos de gravidez indesejada em 668 mulheres mencionadas no estudo do Södersjukhuset mostra que 5,5% das mulheres que usam o Natural Cycles tiveram uma gravidez indesejada. Isso tem similaridade com o que comunicamos sobre os riscos de uso típico, sendo até comparável com outros tipos de contracepção".



Vale notar que, em 2017, o Natural Cycles foi o primeiro app certificado para uso anticoncepcional no mundo — o certificado foi aceito na Alemanha. O Natural Cycles agora espera aprovação da FDA para desembarcar nos Estados Unidos.



No Brasil, o Natural Cycles pode ser baixado e vende seus planos em diversas categorias, com valores entre US$ 6,90 por mês ou US$ 49,99 por ano. 



Veja Também